Chantier : Crianças agitadas, trajetórias turbulentas - Pesquisa comparativa

Crianças com comportamentos disruptivos, entre agitação e desatenção: uma pesquisa comparativa na Europa e na América do Sul

TDAH, um diagnóstico que agita as famílias. Questões diagnósticas em torno de crianças agitadas, entre ruptura e continuidade

Este artigo foi publicado na revista Anthropologie & Santé (17/2018) e “enfoca as ligações entre problemas de saúde e trajetórias sociais. Por meio do exemplo de crianças diagnosticadas com TDAH, analisa as demandas diagnósticas que as cercam, ou seja, a busca de sentidos e soluções que jovens e familiares conduzem para enfrentar suas dificuldades. Essa busca pode tomar várias direções, pois se desdobra de acordo com características e trajetórias sociais passadas (gênero, ambiente social, configuração familiar etc.), mas também de acordo com questões atuais que exigem organização diária e decisões para o futuro (escola, educação, tratamento, etc.). Com base em 45 entrevistas realizadas com crianças e/ou membros de sua família e amigos, este artigo destaca os fatores que determinam as variações nessa busca particularmente longa e complexa por diagnósticos e que esclarecem os mecanismos para lidar com muitos problemas de saúde”.

Aude Béliard, Jean-Sébastien Eideliman, Maïa Fansten, Álvaro Jiménez-Molina, Sarra Mougel et Maëlle Planche, « Le TDA/H, un diagnostic qui agite les familles. Les quêtes diagnostiques autour d’enfants agités, entre rupture et continuité », Anthropologie & Santé 17 | 2018